Pátio Ivo Rizzo

O prédio, situado na charmosa esquina das ruas Padre Chagas e Félix da Cunha, foi construído em 1925. Adquirido pela construtora na década de 1970 foi sede da empresa por 20 anos, quando por vontade da Família Rizzo transformou-se em um prédio Tombado de interesse Cultural (Lei Complementar nº 275/92).

O nome Pátio Ivo Rizzo vem da iniciativa de abrir o pátio da residência para a comunidade e deixar para as próximas gerações esta marca que até hoje já edificou dezenas de prédios e residências neste bairro, tendo inclusive iniciado o comércio na região na década de 50 com a construção dos Edifícios Trocadero e Roma na Rua Vinte e Quatro de Outubro esquina com a Hilário Ribeiro, assim como apartamentos de alto padrão, onde só na Rua Santo Inácio, uma das mais valorizadas do bairro, a empresa edificou 6 prédios.

O grande diferencial é a concepção de um espaço de lazer planejado, que torna agradável e prazerosa a experiência de estar e consumir.

Em julho de 2011 inaugurou no Pátio o projeto Bicicletas no Pátio, uma iniciativa da Vivo e da Ivo Rizzo de aluguel de bicicletas para moradores de Porto Alegre. Muita gente bacana compareceu para se exercitar de bike. As bicicletas foram disponibilizadas em caráter de empréstimo, bastando deixar a carteira de identidade ou de motorista enquanto fizesse seu passeio.

Em outubro de 2012 lançou o Projeto Arte no Pátio dentro das comemorações dos 60 anos da empresa com o objetivo de aproximar as pessoas da arte urbana. Artistas com este conceito vão apresentar no Pátio um pouco da sua arte e oportunizar uma interação com suas obras. De forma itinerante, cada um deles terá espaço para compartilhar experiências com quem aprecia a arte ou quer passar a apreciar.

Lojistas do Pátio Ivo Rizzo:

Arte no Pátio

Dentro das comemorações dos 60 anos, a empresa lançou o Projeto Arte no Pátio, no Pátio Ivo Rizzo com o objetivo de aproximar as pessoas da arte identificada com questões do dia a dia de todos nós.

Artistas com este conceito vão apresentar no Pátio Ivo Rizzo um pouco da sua arte e oportunizar uma interação com suas obras. De forma itinerante, cada um deles terá espaço para compartilhar experiências com quem aprecia a arte ou quer passar a apreciar.

O primeiro artista a expor sua obra foi o designer e fotógrafo Leandro Selister, que apresentou fotografias da série “Coisas do Cotidiano”. A proposta da primeira exposição foi apresentar 60 imagens inéditas de flagrantes do cotidiano durante os meses de outubro e janeiro.

Em janeiro de 2013, o Pátio Ivo Rizzo recebeu o trabalho de 6 artistas plásticas, do Grupo Arte Prima Idea, com o tema “Ciclovida”. Um processo coletivo de pintura e desenho sob lonas, tendo a bicicleta como inspiração. A exposição das artistas: Alice Kraemer, Eunice Gavioli, Gilse Rosito, Ivone Bins, Nilza Dezordi e Vera Marodin permanece até início de março.

No dia 13 de março iniciou a exposição “Horizonte Expandido” de Clarisse Linhares e Mylene Rizzo, com mais de 30 fotos, divididas em três grandes painéis, que representam os últimos 5 anos de viagens da dupla que comanda os roteiros guiados Viajando Com Arte. Fotos de lugares como Tailândia, Índia, Marrocos, Rússia, Argentina, Egito, Grécia, Turquia, México, Peru, França, Costa Rica, entre outros, fazem parte da mostra. Na ocasião, a escritora Martha Medeiros autografou seu último livro Um lugar na janela

Em julho a quarta exposição lançada no Projeto Arte no Pátio foi “A Porto Alegre de Mario Quintana”, com 23 fotos de Liane Neves presentes no seu livro Porto Alegre de Mario Quintana, lançado em 2004. As fotos foram feitas na década de 80, quando Liane entrou na vida do poeta com a missão de fotografá-lo em todos os seus momentos.

No dia 31 de outubro foi inaugurada a quinta exposição, “Linhas Urbanas”, inspirada e integrada pelos diferentes traços dos artistas grafiteiros Diogenes Machado, Mateus Grimm e Renan Santos. Os artistas, que dividem sua produção atual com a prática da arte de rua, desenvolverão durante três dias painéis individuais exclusivos sobre o mesmo tipo de suporte, porém cada um trazendo as características intrínsecas de suas artes. As linhas do trio designam elementos e figuras que ilustram o cotidiano dos moradores da cidade.

Em 15 de abril de 2014, a exposição, “Era uma vez um Conto de Fadas inclusivo”, abre a temporada de exposições do ano com 11 ilustrações e personagens da coleção de livros com o mesmo nome, com textos e ilustrações do fisioterapeuta Cristiano Refosco e edição de arte e design gráfico do artista Leandro Selister. A proposta tem foco na educação inclusiva onde os 11 livros infantis inspirados nos clássicos contos de fadas em uma versão onde os personagens principais possuem algum tipo de deficiência, como a Chapeuzinho da Cadeirinha de Rodas Vermelha, a Branca Cega de Neve e o Pinóquio das Muletinhas.

Outras Ações

Compromisso com as comunidades

Como a história da Ivo Rizzo faz parte da história de diversas cidades, nada melhor do que desenvolver ações nas comunidades onde atua. Mais que construir e compartilhar felicidade, esse é o jeito Ivo Rizzo de presentear as cidades que tantos presentes já deram a ela.

A Ivo Rizzo tem um papel significativo em ações de apoio a infraestrutura urbana.

Participou da construção de várias praças que foram entregues para a comunidade, como:

Praça Ivo Alexandre Rizzo, no bairro Farrapos, entre as ruas José L. P. Garcia e Luiz Alberto Kindlein Parque Tenístico José Montaury, Rua 24 de Outubro, 211, no bairro Moinhos de Vento Tombamento do Pátio Ivo Rizzo, na Félix da Cunha com a Padre Chagas